A busca da razão da existência e as questões decorrentes da mesma, podem se tornar uma infinita sequência de "porquês" na procura das causas, até chegamos ao ponto onde parece não haver mais respostas. Essa jornada do pensamento é um caminho com muitas encruzilhadas e destinos que às vezes levam ao abismo da incerteza.

Tenho visto muitas pessoas, jovens, e pensadores, encurralados em falsas lógicas e ciências, questionando sem encontrar argumentos satisfatórios. Não vi também nada que fosse satisfatório em nenhuma filosofia. Por isso, pensei em escrever este site, por amor àqueles que precisam de respostas e se veem cercados de preconceitos pelos extremistas seja da ciência ou seja, da religião. Extremos que há muito abandonaram algo maravilhoso que Deus nos deu: nossa capacidade de pensar e amalgamar a revelação, a fé, a razão e a lógica para encontrar o verdadeiro conhecimento.

Particularmente, não creio que possam existir perguntas sem respostas, como não há efeito sem causa, mas creio também que para alcançar as respostas devemos nos aproximar da "Causa", pois quanto mais longe da mesma mais difícil será entendê-la, a acabamos por divergir para um caminho obscuro, as vezes sem retorno.

Os "porquês" fazem parte da nossa vida, porém é insuportável viver sem as respostas. No meu entender, as dificuldades diante de perguntas existenciais ocorrem por diversos motivos:

1) Nossa capacidade limitada de abranger o cenário completo, envolvido na questão, em virtude de estarmos apegados apenas àquilo que conhecemos, logo, dentro dessa limitação, não possuímos elementos para montar o quebra-cabeça das respostas.

2) Temos medo de dar o salto para atingir outras formas de respostas além daquelas que envolvem a simples forma de raciocínio. Buscamos tanto o racional, a ponto de esquecermos o fato de que ele também é limitado.

3) Assumir que o raciocínio é a única forma de entendimento, e nos restringimos a ele, submetendo-nos, assim, a todas as suas limitações. Deixamos de dar o grande salto do crer, esperar e sentir que também fazem parte de nosso ser. Apoiamos-nos tanto no raciocínio que usamos o pressuposto lógico de Descartes " Penso, logo existo" como referência para nossa vida , mas nunca por exemplo "Sinto, logo existo" ou "Creio, logo existo" ou "Tenho Fé, logo existo"? Você não se surpreenderia grandemente se soubesse que o elemento básico da existência é a fé?

4) Por causa da nossa limitação em entender a dimensão espiritual, querendo extrair respostas do universo material para questões em dimensões espirituais. Isso é como querer entender o espaço com três dimensões enxergando do ponto de vista do plano com apenas duas dimensões. Conclusão: as equações não se fecham, sem sair desse nível linear do plano, não podemos entender o espaço. Se somos parte do espaço, mas estamos presos no plano tudo parece tão complicado.

5) Ao invés de crescer o nosso entendimento e expandir suas formas a fim de conter as respostas, preferimos diminuir as respostas para caber dentro do nosso entendimento. Todavia , esse método não funciona e leva a conclusões erradas.

6) Estar muito longe da causa e da razão da existência de tudo e, à distância, fica mais difícil discerni-las.

De todo jeito, vou procurar usar o raciocínio e a lógica tanto quanto possível no comentário de certas questões tão importantes no dia de hoje. Devo também esclarecer, primeiramente, que, de forma alguma, pretendo colocar em conflito Deus e a ciência, porque um não nega o outro, de modo algum. As teorias "comprovadas" que nos fazem compreender melhor como o universo e suas leis funcionam não se põem de forma alguma em conflito com Deus, por isso mesmo vamos falar, quando necessário, em termos científicos, sem nenhum constrangimento, portanto...

Abra sua mente ...e seu coração!

Clique e explore os assuntos, vamos lá!

InícioMensagensInformaçõesAjudaEmail ContatoPerguntas DifíceisFacebookSobre o Autor